Compartilhar‎ > ‎

Cuidados na elaboração de apostilas

postado em 26 de set de 2014 09:53 por Andre Martins   [ 26 de set de 2014 10:11 atualizado‎(s)‎ ]

Marta Foutoura Queiroz Cantuário [1]

 

1)      Conteúdo e objetivos da apostila

Ao se tomar a decisão de elaborar uma apostila, é preciso considerar a sua necessidade e a que público se destina. É preciso ter em mente que material se pretende elaborar (o quê), “para quê” e “para quem”. Isto norteará as linguagens adotadas, a estilística, o quantitativo de conteúdo, o nível de dificuldades dos textos, atividades, dentre outros. A apostila não pode parecer uma “colchinha de retalhos”, feita a muitas mãos e sem uma diretriz.

 

2)      Equipe

Para a elaboração de uma apostila, é necessário pensar em uma equipe com profissionais que tenham conhecimento do conteúdo e do público para o qual o material se destina. Escolha pessoas que tenham desenvoltura com a escrita e conhecimento acerca do conteúdo. É importante que sejam montadas equipes de trabalho para o estudo e produção do material. A produção solitária possui maiores chances de deixar escapar erros, equívocos conceituais e problemas ortográfico-gramaticais, que muitas vezes passam despercebidos aos olhos de quem escreve.  Peça um professor de Língua Portuguesa, que não tenha participado da elaboração, para revisar o trabalho. O olhar do outro é importante para elucidar problemas às vezes imperceptíveis para quem produz um texto.

 3)      Recursos

Antes de produzir um material, verifique a viabilidade do mesmo, se há recursos disponíveis. É gratificante produzir algo, mas a sensação de “tempo perdido” é frustrante.

 4)      Conteúdo

4.1. Definir o conteúdo

O primeiro passo para construir uma apostila é decidir qual será o seu conteúdo. Decida os temas, conceito e forma de abordagem dos conteúdos. É preciso ter clareza do que constará no material e considerar para quem ele se destina: idade, ano escolar, posição social e política, dentre outros. Por exemplo, um material de 2º ano destinado a crianças, não pode ser o mesmo para adultos trabalhadores que cursam este mesmo ano. 

 4.2. Fontes de pesquisa seguras

Vivemos na era da informação, mas, nem todas as informações disponíveis são fontes seguras para pesquisa. Determinadas páginas e blogs possuem conteúdo que trazem uma posição pessoal, que muitas vezes não condizem com os estudos científicos ou que abordam conceitos de maneira equivocada. É importante pesquisar em livros, revistas científicas ou revistas e sites seguros, que tenham vínculo com instituições de ensino superior e que possuam um Conselho Editorial. Nesse sentido, é importante ponderar que mesmo em fontes ditas “seguras” ainda é possível encontrar erros, por isso, seja muito criterioso sobre onde buscar os textos que você utilizará.

 4.3. Como organizar os textos

Nunca faça várias versões de uma apostila, você poderá ficar confuso e aumentará a chances de acontecerem trocas. Mantenha uma versão original e tenha este material digitado e salvo em fontes seguras.

Padronize o material, com letras e margens conforme os padrões científicos. Se houver imagens, certifique se elas não são protegidas por direitos autorais, escolha imagens com boa resolução e referende cada uma delas. Se a apostila for em preto e branco, não adianta selecionar imagens muito coloridas, pois a depender das cores, a imagem não ficará nítida. Ao copiar uma imagem da internet, vá em “colar especial” e cole a imagem como “texto não formatado”, evitando assim problemas na configuração.

 4.4. Plágio e auto plágio

O plágio acontece quando copiamos ideias, conceitos ou frases, sem dar o devido crédito para o autor.

O plágio é crime. É uma violação dos direitos autorais e tem implicações cíveis e penais.

O plágio pode ser integral, parcial ou conceitual. Há também o auto plágio, que é quando o autor copia ele próprio, sem referendar.

A autoria é um direito previsto na Lei de Direitos Autorais. Por isso, ao utilizar um texto ou mesmo um fragmento, dê crédito ao autor. Mesmo quando você tenha reestruturado a frase, ela é resultado da ideia de um determinado autor, que deve ser referendado.

Jamais reproduza páginas e páginas de livros ou mesmo capítulos. Autores e editoras são detentoras dos direitos autorais dos livros e sua reprodução total ou parcial é proibida.

Produza seu próprio texto ou utilize textos disponíveis para reprodução, desde que sejam de fontes seguras e com os devidos créditos para os seus autores. Há textos informativos, poesias, músicas e reportagens que se encontram disponíveis e podem ser utilizados desde que devidamente referendados.

 4.5. Correção

Por mais que você tenha facilidade com a escrita, isto não isenta a necessidade de um revisor. Todo e qualquer texto deve passar por uma rigorosa correção ortográfico-gramatical.

 5)      Apresentação/Estética

Esteja atento à apresentação do material, para questões de organização e estética. O mesmo deverá conter capa, página de rosto, texto de apresentação, índice e divisão de capítulos, devidamente organizados.

Os textos devem ser apresentados com fonte adequada à leitura. Por exemplo, se o material é para a EJA, é interessante que as letras sejam um pouco maiores. Não utilize letras pequenas ou fontes com estilos muito rebuscados. Prime pela simplicidade, qualidade, leveza e clareza nos textos e imagens.

 6)      Referência

Coloque referência em tudo o que fizer; com isto, você dará os devidos créditos aos autores e às fontes de pesquisas e, por conseguinte, uma maior credibilidade ao seu material.

Pesquise em livros de Metodologia da Pesquisa Científica ou na ABNT e certifique-se das normas para a publicação de textos científicos e padronize o seu material.



[1] Marta Foutoura Queiroz Cantuário é pedagoga.  escritora e atua no NTE/Cemepe